QUEM É O CULPADO DA SEGUNDA CURVA DO COVID-19?

As eleições municipais de 2020, com as suas aglomerações pode ser a vilã da segunda curva do covid-19, e responsável pelo auto número de óbitos. 

O Brasil enfrenta uma das piores crises sanitárias de sua história, a mídia que se aliou com o vírus para culpar o presidente da república de todo caos, esqueceram de mencionar as aglomerações feita pelos candidatos que disputaram nas últimas eleições municipais sem respeitar as restrições sanitárias. As aglomerações em caminhadas e reuniões partidárias de apoio aos candidatos propagava um controle é um possível fim da crise sanitária sofrida pela população na pandemia do novo coronavírus nas eleições de 2020, governadores se absterão de precauções restritivas a população em apoio aos seus candidatos.

O cenário de óbitos vivido na atualidade é uma variante provocada pelos partidos que não aceitarão o cancelamento das eleições 2020. A UBAM – UNIÃO BRASILEIRA DE MUNICÍPIOS, enfatizou a união das associações dos municípios de todo Brasil com a equipe do Governo Federal para propor o cancelamento das eleições municipais defendendo a prorrogação dos mandatos dos prefeitos até 2022, sugerindo um plebiscito para população.

O deputado Fabio Ramalho do MDB apresentou projeto de lei de n° 837/2020, referente o pedido de cancelamento das eleições, unificando com as eleições presidenciais em 2022, em preocupação com os danos no processo eleitoral causados pela pandemia do novo coronavírus.

 

No Maranhão as campanhas aconteciam sem nenhuma restrição ou fiscalização das instituições sanitárias ou ações feitas pelo Ministério Público, o mesmo agora se manifesta contra ações de prefeitos no qual o próprio STF, garantiu a “autonomia”.

A falta de investimentos na Saúde é um fator que coopera para falta de leitos e o auto número de mortes no estado, as falhas nos resultados de exames de pacientes acometidos pelo Covid-19 também tem que ser contadas, estranhamente os pacientes que testam negativos voltam em estado crítico diagnosticados com o vírus, situação que deveria ser investigada pelo ministério público.

Em Açailândia no mês de janeiro de 2021 ouve uma denúncia sobre mortes no HMA - Hospital Municipal de Açailândia, que em menos de 72 horas, 10 pessoas que se encontrava nas UTIs do hospital municipal não suportaram a ação do covid-19 por falta de medicamentos. Açailândia já está na segunda colocação em número de mortes no estado para cada 100 mil habitantes.

 

As mortes nas UTIs do Hospital Municipal de Açailândia são quase diárias, fator esse que coopera para inquietação dos pacientes infectados pelo Covid-19, contribuindo para que pessoas não procure atendimento médico por medo, situação que atrapalha na recuperação dos pacientes. O HMA, sofre com a falta de estrutura e com inúmeras denúncias na falta de médicos.

A falta de especialistas ocasionada pelos gestores que na tentativa de baixar custos da saúde, sempre recorreram a vizinha Imperatriz, situação que estar gerando instabilidade na saúde pública açailândense, cooperando significativamente com índices de mortes na pandemia.

O HMA no mês de março de 2021, instalou 48 novos leitos de enfermaria, 10 leitos de UTIs em parceria com governo estado do Maranhão e mais 10 respiradores portáteis doados pelo governo federal por intermédio do deputado Federal Aluísio Mendes (PSC).

 

Porém vale ressaltar que já havia 10 leitos de UTIs instalados, anunciado em maio de 2020, onde sua inauguração se deu na companhia de secretários e vereadores, para atender pacientes com Covid-19, em agosto do mesmo ano o prefeito Aluísio Sousa inaugurou mais 10 leitos de UTIs, ou seja, somando 20 leitos.

Inauguração de 10 leitos de UTIs no mês de maio de 2020

 

O hospital de campanha possuía 60 leitos sendo 53 de enfermarias e 7 UTIs, exclusivos para o Covid-19 foram doados para o município para o sistema de saúde local, para ser instalados na Policlínica, inaugurada no dia 04 de fevereiro de 2021 em Açailândia.

Inauguração de 10 leitos de UTIs em Agosto de 2020

Toda mídia propagada em Açailândia sobre UTIs instaladas soma ao todo 37 Leitos de Terapia intensiva instaladas, que deveriam está a disposição da população, situação que deve ser investigada pelo ministério público, para checar se o atual gestor não cometeu crime de improbidade com falsas inaugurações no intuito de se prover politicamente, para obter vantagens nas eleições 2020.

 

A saúde passa por problemas gravíssimos, o número de mortes e a falta de atendimento médicos em UBSs – Unidades Básicas de Saúde, também é um fator que coopera para o aumento de infectados, já que pacientes com doenças crônicas precisam se dirigir a UPA e ao HMA na procura de atendimento.

A pandemia congestionou todo o sistema de saúde inclusive os atendimentos nas UBSs, que se encontram sem médicos, também existem as que estão fechadas que o governo municipal tem a obrigação de entregar. A UBS do Bairro Barra Azul, está inacabada, e associação comunitária dos moradores do bairro Barra Azul, fizeram várias denúncias ao Ministério Público, que fez um TAC - Termo de Ajuste de Conduta em 24 de agosto de 2020, com prazo de 180 dias, que encerrou em fevereiro de 2021, que segundo informações, um novo prazo foi adiado até 1º de abril de 2021.

Os moradores aguardam o posicionamento do Ministério Público, já que o momento epidemiológico se tornou desculpa para não executar serviços essenciais. A nova data é para informar a nova empresa licitada responsável pela conclusão da unidade. Não sabemos se o MP oferecerá denuncia de improbidade caso a prefeitura não cumpra o prazo estabelecido ou fará um novo TAC.

E notável que em Açailândia é proibido adoecer por qualquer outra enfermidade que não seja o Covid-19, diante disso está suspenso exames e consultas com outras finalidades. A administração pública está voltada para um único problema, como não houve-se, outras situações clinicas necessárias, como pré-natais, hemodiálises, hanseníases e etc.


No dia 29 a UPA ficou a disposição de um único médico, denúncia feita ao blog, a falta de médicos na unidade de pronto atendimento como no HMA, são as que mais são publicadas em redes sociais e em grupo de WhatsApp, o ministério público precisa checar as denúncias.

Os vídeo acusa médicos de não fazerem as visitas diárias individuais, situação que os vereadores precisam checar para dirimir tal abuso caso esteja acontecendo.

Nesse momento epidemiológico o ministério público precisa investigar o auto número de mortes em torno do hospital municipal em suas UTIs, se estão devidamente instaladas, e se não oferecem riscos de contaminação a outros pacientes.

Também precisa checar o numero de leitos existentes no hospital municipal e Policlínica já que se trata de uma doação feita ao município. O sistema único de saúde está sendo deixando de lado por falta de investimentos e a anos sofre com o colapso e falta de investimento do estado do Maranhão.

O HMA é um hospital todo remendado, com uma área que daria para construir um dos maiores centros de saúde do estado do Maranhão. Sua recente reforma foi mal elaborada e as vezes apresenta falhas nas instalações elétricas. A vereança em nosso município precisa trabalhar em prol da população e deixar as intrigas políticas de lado.

 

Por

Marcio Morais

 

 

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FELIBERG SAI DE FININHO PARA NÃO RECEBER PROTOCO DE SUPLENTE DE VEREADOR

UM POUCO DA HISTÓRIA DA VEREADORA ROBENHA DA SAÚDE

PRIMEIRO ANO DA ADMINISTRAÇÃO DO PREFEITO ALUISIO SOUSA